A importância da arquitetura moderna

Por que preservar a arquitetura Moderna? Vivemos num mundo que caminha pela força do capital. A pressão do mercado imobiliário é constante e freqüentemente passa por cima da nossa História, demolindo construções significativas do passado, em benefício do comércio que nunca pára de crescer. Em meio a busca do lucro a qualquer custo, nossa memória está cedendo espaço a obras muitas vezes inúteis e desprovidas de valor estético.

Nesta “memória” da cidade incluímos a arquitetura Moderna, que apesar do nome, já não é moderna no sentido de ser contemporânea. O Movimento Moderno da arquitetura já faz parte do passado, exigindo nosso interesse para com a sua conservação e proteção.

No seu tempo, o Modernismo rompeu com uma tradição jamais retomada, de tal forma que até hoje a arquitetura mostra “resquícios” Modernistas, como se o ponto de ruptura constituído pelo Movimento Moderno servisse, para sempre,  de base para a formação de nossos conceitos atuais. As obras Modernistas apresentam uma clareza de intenção e uma honestidade com seus princípios que, no mínimo, buscavam coerência e qualidade.

O Espírito Santo possui um grande número de obras da arquitetura Moderna de qualidade indiscutível, mas que muitas vezes não são reconhecidas na cidade pelo público e até mesmo por arquitetos. Acreditando que o conhecimento é o caminho para tornar os monumentos parte de nossa memória afetiva e, conseqüentemente, fazer emergir a consciência de preservação, parece mais do que hora de trazer aos olhos do público a Arquitetura Moderna Capixaba.

A preservação e entendimento do passado é importante para o presente e futuro, enquanto raiz da nossa compreensão dos fenômenos que nos cercam. Quando pretendemos preservar edificações de uma época que já passou, não o fazemos em busca de uma nostalgia sem sentido, mas sim com o intuito de resgatar nossa própria História e identidade.

Leave a Reply